segunda-feira, 31 de março de 2014

Páscoa: cinco dicas para motivar e vender mais!

A Páscoa está chegando e este é o momento em que muitas empresas lucram mais. A data é o terceiro melhor período para conseguir um trabalho temporário, só perdendo para o Natal e o Dia das Mães. Isso se reflete em maior oportunidade de vendas.

Confira algumas dicas para você vender mais na Páscoa:

1) Conquiste o cliente pelo olhar: Uma vitrine atraente pode ser meio caminho para o cliente fazer uma compra. Decoração com enfeites que façam menção a Páscoa pode mexer no estado de espírito das pessoas e nessa época é a emoção que faz a compra.
2) Bons produtos: Variedade e boa exposição são essenciais para despertar o desejo de comprar. Mas tome cuidado para não entupir a loja com produtos semelhantes.
3) Motivação: Ter uma equipe em harmonia e empenhada em vender mais é fundamental. Motive o time com premiações, aumento de comissões e bônus.
4) Entre no clima: Mesmo que seu estabelecimento não tenha ligação direta com a Páscoa, vale investir em uma decoração temática. Isso mostra que o empreendedor está sintonizado com momento e gera percepção positiva. Pense em como relacionar seu carro-chefe com a data.
5) Alma do negócio: A propaganda continua sendo uma boa dica para o varejo. Reserve uma verba para essa finalidade, principalmente para divulgar as ofertas.

E Boas Vendas!

2795392


2796741

2793872

2199035

Fonte: Sebrae

sexta-feira, 28 de março de 2014

As estratégias das marcas de moda no Instagram

O Instagram é oficialmente a rede social queridinha dos fashionistas. Basta dar uma busca com as hashtags #moda e #fashion, por exemplo, que não lhe faltaram imagens de look do dia, grifes, festas e desfiles. Todo mundo quer postar e ver o que os outros amantes do assunto estão postando. O sucesso do Insta, como é chamado pelos seus usuários, é tanto que as próprias grifes estão fazendo a rede uma estratégia de relacionamento com o seu público.

Sabendo desse movimento e afim de engajar os consumidores com a marca, a rede de lojas Marisa lançou a sua coleção de Outono/Inverno de um jeito diferente. Dessa vez, o catálogo com as novidades da marca para a estação será criado de forma colaborativa pelo Instagram. Para o lançamento da ação, foram convocadas algumas blogueiras como Helô Gomes, Lalá Noleto e Mariah Bernardes para publicaram os seus “selfies” vestindo looks Marisa com a hashtag #OutonoInvernoMarisa


Com o start dado através das blogueiras, agora as lojas recheadas com as peças da nova coleção, convidam as clientes a participarem da ação e postarem fotos usando suas produções outono/inverno com a hashtag #OutonoInvernoMarisa. Quem participar até o dia 20/03 fará parte do catálogo virtual. Mesmo quem não tiver o aplicativo pode acompanhar as imagens pelo site www.catalogosocialmarisa.com.br que reunirá as fotos marcadas com a hashtag e perceber a grande variedade de looks e estilos que a coleção proporciona.

Publicado originalmente no site da Revista Catarina, no dia 11 de março de 2014
http://www.revistacatarina.com.br/2014/03/as-estrategias-das-marcas-de-moda-no-instagram/

quinta-feira, 27 de março de 2014

China e EUA mudam política para o algodão

Comitê internacional alerta para os impactos das alterações, ainda em fase de definição, sobre o mercado.

No início da semana, o comitê consultivo internacional do algodão divulgou alerta sobre as mudanças recentemente anunciadas pelos governos da China e dos Estados Unidos em suas políticas agrícolas, que envolvem também o algodão. Segundo especialistas, ainda é cedo para dimensionar o impacto real das novas políticas sobre o mercado. Enquanto as mudanças a serem aplicadas pelos Estados Unidos serão observadas de muito perto pelo governo brasileiro, ainda às voltas com a disputa no âmbito da OMC (Organização Mundial para o Comércio), a da China poderá beneficiar os países exportadores de algodão.


A nova lei agrícola americana (Farm Bill) assinada no mês passado pelo presidente Barack Obama é a mais polêmica e poderá afetar os negócios brasileiros de algodão, agravando a disputa comercial entre os dois países. Ao mesmo tempo, que o governo reduziu o volume de subsídios concedidos aos produtores da fibra naquele país, criou um mecanismo de defesa na forma de um programa de seguro às lavouras, o chamado Stax (Stacked Income Protection Plan). Ainda faltam detalhes de como vai funcionar, mas, a imprensa especializada aponta que o novo sistema foi concebido para cobrir de 70% a 90% das perdas dos agricultores em geral, incluindo os cotonicultores. A cautela com que foi recebida a nova política americana tem a ver com o temor de que as vantagens embutidas neste programa contribuam para o aumento da oferta da fibra com a conseqüente redução no preço do algodão.

Também o governo chinês anunciou que irá reavaliar os subsídios que concede as plantadores de algodão e de soja. No caso do algodão, a experiência estará restrita à província de Xinjiang, que a agência Reuters estima produzir em média 60% de todo o algodão da China. Nessa região, que terá a área de plantio reduzido na próxima safra, o polêmico programa de estocagem do país será suspenso e os subsídios revistos. Faltam detalhes de como as mudanças serão implementadas, mas, a China acenou com a disposição de trabalhar com um preço-referência, que leve em consideração o preço interno que, nos últimos anos, tem sido empurrado para cima, e a cotação internacional.

Fonte: http://www.gbljeans.com.br/noticias_view.php?cod_noticia=5138

quarta-feira, 26 de março de 2014

Fashion Rio Verão 2015: Line up conta com 17 desfiles e uma estreia

Semana de Moda Carioca acontece na Marina da Gloria com calendário enxuto e desfile da Osklen

A 25ª edição do Fashion Rio, que acontece de 08 a 11 de abril, na Marina da Glória. Com o tema "Rio, resort tropical, patrimônio mundial, paisagem cultural", a ideia é falar das belezas naturais do Rio de Janeiro, que continuam a nos inspirar e reforçar a vocação da cidade como patrimônio mundial. A cidade mantém um perfeito equilíbrio entre o mar e a montanha que conversam de forma harmoniosa na cidade.

A capital se tornou em 2012, Patrimônio Mundial, sendo a primeira cidade do mundo a receber este título da Unesco na categoria Paisagem Natural. Lembrando que o Rio é conhecido mundialmente como "Cidade Maravilhosa", uma marchinha de carnaval composta por André Filho para o Carnaval de 1935 e que faz sucesso até hoje.

O line-up do Fashion Rio de Verão 2015 normalmente é mais encorpado nas temporadas de verão, e desta vez vem mais enxuto, com apenas 17 desfiles. Estão ausentes a gigante da moda praia Blue Man; a mineira especialista em tricô Coven; a elegante Sacada; a paulista Iódice; a marca de jeans de Alexander Herchcovitch, a Herchcovitch; e a carioca Andrea Marques; e a sempre bem humorada Reserva; marcas que sempre apresentam ótimas ideias na semana de moda carioca. De novidade, tem a Osklen Praia fechando o 1º dia do evento.

Confira o line-up completo abaixo:

Dia 08.04 - TERÇA-FEIRA

18h30 Patricia Viera
20h Alessa
21h Ausländer
22h Osklen Praia

Dia 09.04 - QUARTA-FEIRA

18h Oh Boy
19h Espaço Fashion
20h Maria Filó
21h Coca-Cola Jeans

Dia 10.04 - QUINTA-FEIRA

17h R.Groove
18h Salinas
19h Cantão
20h Victor Dzenk
21h TNG

Dia 11.04 - SEXTA-FEIRA

15h 2nd Floor
18h Triya
19h Filhas de Gaia
20h30 Lenny Niemeyer

Fonte: http://www.puretrend.com.br/

Cultura e Moda Brasileira: Fraga leva a caatinga à Europa

Estilista mineiro participa da “Designers of The Year”, em Londres, e da maior feira do couro do mundo, em Bologna

A agenda de Ronaldo Fraga está cheia nos próximos dias. E nem é só porque ele está às voltas com a coleção verão 2015 para o próximo São Paulo Fashion Week, que acontece no início de abril. Mas pelo fato de seu trabalho ter sido selecionado para participar de dois importantes eventos que ocorrem na Europa neste mês de março.
O primeiro deles é o Lineapele, a maior feira de couro do mundo, que acontece em Bologna, na Itália. E o outro é a exposição “Designs of The Year 2014”, que será aberta ao público no próximo dia 26, no Design Museum, em Londres.
Na capital inglesa, Ronaldo Fraga estará entre o seleto grupo de dez estilistas da mostra, que reúne, além da moda, arquitetura, mobiliário e design gráfico e de produto, num total de 80 artistas.

Look escolhido por Ronaldo Fraga para ser apresentado em Londres
Esta será a segunda vez que Fraga participa da “Designer of The Year”. Na primeira, foi com sua coleção sobre a China, mas agora será com algo bem brasileiro: “Carne Seca ou Um Turista Aprendiz em Terra Áspera”, seu mais recente trabalho, em que homenageia o semi-árido nordestino ao tratar da cultura do curtume.

Ali, o estilista brasileiro estará lado a lado com marcas importantes como Prada e Dior. “O melhor de estar junto dessas marcas é que ali não estaremos discutindo babados, frufrus. O que estará sendo discutido ali é outra história”, afirma Fraga, referindo-se a um tema que lhe é muito caro: a da moda como vetor cultural, uma vez que o foco do evento são as discussões contemporâneas que dão alma ao novo design. “Nunca disse que a moda é arte, assim como nem todo cinema é arte, nem todo teatro é arte. Mas a moda é indiscutivelmente um vetor da cultura”, afirma.

Na “Designs Of the Year 2014”, o estilista vai mostrar um look, com roupa, acessórios e sapato, e um vídeo de cinco minutos. “O legal de fazer moda é que você não faz sozinho. Tem os parceiros de sempre. E com o look podemos levar para lá os sapatos da Virgínia Barros, a pesquisa em estamparia da Virginia e Domingos Baba, e os acessórios da Camaleoa”, afirma Fraga.

O estilista não poderá estar presente na abertura da mostra por causa das preparações da nova coleção e por conta da aula magna que fará na Lineapele, em Bologna, na próxima semana. “Vou representar o Brasil nesta feira, que é a maior do mundo”, diz ele, que estará ao lado de um design chinês e um russo. Lá, ele vai apresentar um vídeo de 14 minutos com um passo a passo que transforma o artigo, o couro, num produto de design. “Poder fazer essa palestra no celeiro que o mundo copia parecia uma coisa inalcançável”, diz ele, lembrando que, embora o Brasil tenha o maior rebanho do mundo, são os italianos hoje que transformam o nosso couro em peça de design. “Vai ser importante falar desse momento do couro no Brasil, quando estão surgindo projetos de design que o colocam em outro patamar”, acredita o estilista.

Participar desses dois importantes eventos, para Fraga, não significa sucesso. “Sucesso é igual gripe, dá e passa. O importante é que o maior crítico ao seu trabalho, que é você mesmo, continue com os olhos brilhando”.

O estilista acredita ainda que está ocorrendo uma redescoberta do Brasil que vai além do Carnaval, do samba e até do futebol. “O mundo está nos observando”.

Fonte:
Por Silvana Mascagna
http://www.otempo.com.br/divers%C3%A3o/magazine/fraga-leva-a-caatinga-%C3%A0-europa-1.800038

terça-feira, 25 de março de 2014

Expansão: Mercado da Moda Masculina está em pleno crescimento

Quem imaginou que um dia os homens se tornariam uma classe de grande consumo na moda? Pois é, os tempos mudaram. A capacidade de entender e conseguir identificar esse mercado em ascensão, foi o relatório da empresa norte-americana Bain & Co., que nos mostram dados “interessantes” em relação ao perfil de consumo de luxo masculino que começa a se destacar no mercado.

Segundo a agência de consultória, o consumo dos homens ao longo dos anos crescem 14% anual, representando quase o dobro do mercado feminino que fica com crescimento de 8% anual no mercado global. 
Levando em consideração o cenário brasileiro, a agência MarketLine ressalta o país como forte potencial chegando a 7 % o crescimento no ano de 2012, totalizando US$ 17 bilhões.
Em 2017, a previsão é que os números cheguem a US$ 23,6 bilhões, alcançando 38% da fatia do mercado. As causas para essa expansão são fatores como divisão de tarefas, aumento da tecnologia, aumento da circulação de mídias para esse nincho e o interesse dos homens em tentar não deixar os anos serem visualizados na aparência, melhorando o tanto o visual quanto o look.

Fonte: 
http://finissimo.com.br/2014/03/07/agora-e-com-eles-moda-masculina-esta-em-expansao-no-mundo/

segunda-feira, 24 de março de 2014

Senac Moda Informação aponta direcionamentos para Verão 2015

O Verão 2015 deve ser esportivo, com referências à natureza e com tecidos tecnológicos. Esses foram os principais direcionamentos apresentados, durante a 43ª edição do Senac Moda Informação, que aconteceu no dia 26 de fevereiro, no Teatro Bradesco, em São Paulo.  Dentre os painéis apresentados, a consultora Luciana Parisi abordou “Cores, tecidos e padronagens” para a temporada. Conheça algumas das tendências apontadas para a temporada:

Geografia Global: voltado para questões étnicas da África, Ásia e América Latina, o tema vem com estampas ligadas às culturas dessas regiões. Os materiais mais usados devem javanesa, viscose, crepe de poliéster, couro ecológico gravado, camurças, malhas, macramê, rendas, moletons e neoprene. As padronagens são abstratas, tribais e de azulejo turco. Já a cartela de cores aparece com tons de coral, laranja, marrom, verde e até mesmo lilás. A modelagem feminina é representada por vestidos longos e fluídos, com saias e bermudas na altura do joelho.

Street Sport: a Arte Pop e o grafite influenciam a criação de peças com o minimalismo dos anos 90. As tendências apontam para blusões em chiffon com armações em organza, jacquards leves e tweeds em detalhes. O nylon, devoré, flamê, vinil e malhas compactas trazem à tona a utilização de materiais tecnológicos e os investimentos do setor têxtil. Os grafismos em tipografia misturados a animal print fazem parte da estamparia, que é completada com florais mixados com xadrezes, street art e pinceladas de telas como aquarelas.  Cinza, rosa, lilás, azul, laranja e branco compõem os tons da estação. 

Inocência e Sedução: romantismo e aspecto sexy ditam o rumo desse estilo, que traz peças fluídas e curtas. A delicadeza é traduzida em tecidos como shantung, crepe plissado, algodão bordado, tule, tricoline, gorgulinho e viscose. O rebuscado é representado por jacquard de poliéster, renda, malha de viscose com brocados. A doçura da inocência aparece em desenhos de maxi poás, margaridas, corações, beijos e doces repletos de tons pastel e neutros, como salmão, amarelo e azul claro.  
Natureza Tropical: O jeito brasileiro de viver é um dos norteadores desse tema. A flora, a fauna, as águas e frutas são fatores inspiradores para as criações mais despojadas, acompanhados de shapes ousados, como decotes e ombros à mostra. A evidência de estampas como florais, animais e tropicalismo marcam presença. Há a predominância de algodão, sarja, poliéster, mas também aparecem a seda musseline, gorgurão e malhas com telas nas composições das peças.  

Exposição com o tema Inocência e Sedução
Exposição com os temas apresentados durante o evento
Fonte: http://www.abit.org.br/Imprensa.aspx#1118

Inverno xadrez

Das highlands para o mundo!  Se depender dos desfiles, o tartan - típico xadrez escocês vai invadir todas as vitrines da próxima temporada do Hemisfério Norte. Foram muitas as marcas que investiram na padronagem mesmo com inspirações diferentes para cada coleção.  

Delpozo
Marc by Marc Jacobs
Valentino
Tommy Hilfiger
Thakoon
- Alfaiataria, Punk, Grunge e Xadrez - O xadrez, o estilo grunge dos anos 90 e uma certa influência punk - voltam com tudo na estação.
- Para confecção de peças de alfaiataria como calças, blazers, e vestidos estruturados, é possível usar xadrezes mais pesados, que vão do preto e branco ao tradicional tartan escocês.
- Jacquard e Brocado - brocados em prata, dourado e jeans, com estampas florais e jacquards inspirados na tapeçaria, perfeitos para casacos, saias, calças e vestidos.
- Leves & Transparências – Tecidos planos fluidos e sofisticados, mas também tricôs levinhos e rústicos, malhas transparentes e segunda pele. Ótimos para serem usados em peças variadas, ao mesclar tecidos mais elegantes com rústicos despojados pode se compor um look hi-lo bastante atual.
- Nas cores, o preto e branco, que dominou o verão, ainda continua para o inverno. Os azuis que também estiveram na estação quente continuam nos tons royal, noite, aviação e marinho.
- Os tons cosméticos, nudes, bases, blushes e rosados, que nos remetem à maquiagem, são uma grande aposta. Canela e caramelo, chocolate e café aparecem como clássicos de inverno. Amarelos mais queimados e verdes escuros como oliva se mantém desde o inverno anterior.
- Pastéis, como salmão, rosa antigo e azul acinzentado acrescem um toque romântico. Os tons de pink, cereja e magenta, e os variados tons de cinza, que têm ganhado bastante destaque nas passarelas, fecham a cartela de cores do Inverno 2014.

Fontes: 
http://textileindustry.ning.com/profiles/blogs/inverno-xadrez-padronagem-domina-os-desfiles-2014-15?xg_source=msg_mes_network

http://www.dasmariasblog.com/post/77887/tendencias-em-tecidos-para-o-inverno-2014


sexta-feira, 21 de março de 2014

SPFW: conheça o calendário da temporada verão 2015

A 37ª edição da São Paulo Fashion Week que acontece de 31 de março a 4 de abril em novo endereço e traz a estreia de quatro marcas. Nessa temporada, os desfiles acontecerão no Parque Cândido Portinari, espaço recém-inaugurado ao lado do Parque Villa-Lobos.

Quanto ao line-up, as marcas Giuliana Romanno, Lolitta, Wagner Kallieno e Lilly Sarti integram o calendário ao lado de grifes de moda praia que voltam para essa temporada, como Adriana Degreas e Água de Coco por Liana Thomaz. O evento contará ainda com os desfiles especiais da Melissa e Lilica Ripilica.

*Acompanhe o Blog de Moda pelo twitter @estadaomoda e pelo facebook.com/modaestadao 

Veja o line-up completo:

Segunda-feira, 31

17h Animale

18h João Pimenta

19h30 Tufi Duek

20h45 Cavalera

Terça-feira, 1° de abril

11h Alexandre Herchcovitch (feminino)

13h Pat Pat's

15h30 Patricia Motta

16h30 Giuliana Romanno

17h30 Vitorino Campos

18h30 Uma Raquel Davidowicz

19h30 Triton


Quarta-feira, 2

10h Paula Raia

11h FH por Fause Haten

12h30 Gloria Coelho

15h Ronaldo Fraga

16h Lilly Sarti

17h30 Água de Coco por Liana Thomaz

19h Adriana Degreas

20h15 Colcci


Quinta-feira, 3

9h30 Pedro Lourenço Capsule

11h30 Têca por Helo Rocha

13h Osklen

17h Movimento

18h Lolitta

19h15 Lino Villaventura

20h30 Forum


Sexta-feira, 4

12h Reinaldo Lourenço

16h Ellus

17h Wagner Kallieno

18h Amapô

19h Alexandre Herchcovitch (masculino)

20h Samuel Cirnansck


Eventos oficiais

Dia 3, às 16h: Lilica Ripilica

Dia 4, às 15h: Melissa

Fonte: http://estadao.br.msn.com/cultura

Parceria e engajamento social em coleções de rede fast fashion

C&A lança t-shirts e download gratuito de músicas em parceria com gravadora

As tees terão estampas de bandas e artistas como Ramones, The Rolling Stones, Janis Joplin, Guns N’ Roses, Jimmy Hendrix e The Doors. A C&A firmou parceria com a Universal Music para lançar em março uma coleção de t-shirts com estampas de bandas e artistas como Ramones, The Rolling Stones, Janis Joplin, Guns N’ Roses, Jimmy Hendrix e The Doors. 


Além das camisetas masculinas e femininas, que serão comercializadas por R$39,90, o site da marca disponibilizará o download gratuito de mais 300 músicas e CDs de grandes nomes do rock até o dia 31 de março. Veja alguns modelos:


Moda e engajamento social



Ainda, a C&A e o Grupo Cultural AfroReggae, do Rio de Janeiro, lançaram no dia 27 de fevereiro uma coleção de produtos com o selo AR, marca de licenciamento da ONG. São peças femininas, masculinas e infantis, como camisetas, leggings e tops, que variam de R$ 20 a R$ 50.
A estamparia foi inspirada nas favelas cariocas, no carnaval e no mundo "afro". A palavra "AR", iniciais do AfroReggae, também é usada como estampa, em palavras como amAR, dançAR, sonhAR e inspirAR, transformAR – todas elas fazendo referência aos valores e à missão do grupo.
O Grupo Cultural AfroReggae oferece arte e cultura como alternativa de vida para os moradores do Rio de Janeiro. Em 1994, começaram as primeiras oficinas de percussão, dança afro e reciclagem de lixo em Vigário Geral, que se tornaram referência mundial. Projetos como o "Empregabilidade" já alcançou 3.000 beneficiados. Ele é um dos carros-chefes do Grupo, acolhendo aqueles que abandonam a criminalidade, inserindo ex-detentos no mercado de trabalho.

Fontes:
http://www.brasil247.com/pt/247/estilo/131575/Moda-e-engajamento-social.htm

http://www.ibahia.com/detalhe/noticia/rede-de-fast-fashion-lanca-t-shirts-e-download-gratuito-de-musicas-em-parceria-com-gravadora/?cHash=a13630ef1c4ffe16e2535bccbb80e6f1





quinta-feira, 20 de março de 2014

Abit fecha parceria com Centro de Tecnologia Têxtil de Portugal

A Abit, Abrafas, Senai-Cetiqt e Centro Tecnológico das Indústrias Têxtil e de Vestuário de Portugal (CITEVE), juntamente com  a Associação Selectiva Moda (ASM) e a Associação Têxtil de Portugal (ATP), acabam de assinar um importante Acordo de Parceria para a transferência de tecnologia têxtil de Portugal para o Brasil, com várias ações previstas ao longo dos próximos anos.  A primeira ação será um simpósio internacional no Senai-Cetiqt , Rio de Janeiro, nos dias 8 e 9 de abril,  sobre os têxteis mais tecnológicos em aplicação na atualidade, em diferentes setores, e as últimas pesquisas com “ Têxteis do Futuro”. O evento contará com vários especialistas internacionais, empresas que já produzem esses materiais e usuários finais relatando os benefícios.

Um dos segmentos que mais cresce somente no Brasil, na média de 10% ao ano, com faturamento que ultrapassa a casa dos U$ 2,8 bi, gerando 44 mil empregos.  “O setor têxtil e de confecção do Brasil não se limita à moda. A gente tem várias empresas que produzem esses têxteis tecnológicos, com aplicação na área médica, na construção civil, no setor de transportes, agribusiness e também no vestuário. E, também temos alguns centros de pesquisas desenvolvendo têxteis que a gente ainda nem imagina, pois não está ainda no mercado. Tenho certeza que essa parceria com o CITEVE, que reúne todas as maiores tecnologias têxteis de toda a Europa, irá mudar o patamar do Brasil nessa área em alguns anos” explica Rafael Cervone, presidente da Abit.

"Nosso trabalho consiste em alertar as empresas para as oportunidades na área de têxteis técnicos. Esse fórum vai trazer acesso às melhores produções da Europa e brasileiras no âmbito de têxteis técnicos e tecnológicos. Os empresários e pesquisadores brasileiros terão contato direto com clientes que estão interessados em conhecer melhor o mercado brasileiro e estão dispostos a investir. Esse segmento conseguiu restaurar o setor em Portugal e hoje já representa 25% do têxtil do nosso país. Porque não teria sucesso no Brasil?”, declara  António Braz Costa, diretor geral do CITEVE. Braz ainda afirma que este convênio irá fortalecer um relacionamento de anos com a Abit."

Ainda segundo Costa, têxteis tecnológicos são competitivos quando possuem processos simples de produção. Porém, o custo final certamente também será maior quanto maior for a tecnologia embarcada. “Esses tecidos devem ter um conjunto de funcionalidades para os setores a que se destinam e para que o valor seja percebido. Hoje, as pessoas pagam por um design diferenciado, pois acreditam na agregação de valor dessa peça. Da mesma maneira, as pessoas pagarão por funcionalidades que considerem uma importante agregação de valor como: limpeza fácil,  conservação quase infinita, hidratação, proteção solar, acompanhamento médico de pressão, temperatura, glicemia, recuperação muscular, entre outros. Nos tecidos técnicos a preocupação com sustentabilidade e todo o ciclo de vida desse produto é um direcionamento para todas as pesquisas”, acrescenta.
O I Fórum Internacional de Inovação Têxtil - Presente e Futuro abordará tecidos utilizados na área esportiva, no setor automotivo e aeronáutico, construção civil, agricultura, uniformes de defesa, moda, tecnologias de superfícies e processos sustentáveis. Os pesquisadores são brasileiros, europeus e americanos. Clientes como Exército do Brasil, atletas olímpicos, Malwee, Nike, Citroen, e empresas produtoras como Rhodia, Dupont, Dini Têxtil, Grandene, Cedro, Invista, Golden Química, estarão debatendo cada painel do evento.
O Evento é gratuito e destinado a profissionais e pesquisadores do setor. As inscrições poderão ser feitas a partir do dia 24 de março pelos sites da Abit e do Senai-Cetiqt.

Fonte: http://www.abit.org.br/Imprensa.aspx#1155|ND|C

Levi’s desenvolve sistema para reciclar 100% de água

Processo foi criado em parceria com uma fábrica chinesa e resultou na economia de 12 milhões de litros de água em relação à produção de 100 mil calças jeans femininas.
A norte-americana Levi’s Strauss desenvolveu uma nova maneira de produzir jeans usando 100% de água reciclada. A marca fez um primeiro teste neste ano com a produção de 100 mil calças jeans femininas e reportou a economia de cerca de 12 milhões de litros de água, o suficiente para encher cerca de cinco piscinas olímpicas. A técnica, de acordo com a Levi’s, é o resultado de um novo padrão que será estendido para as fábricas parceiras chamada de “verifiedwater”, projetada para aliviar o stress da produção de vestuário em fontes de água doce.


O processo que recupera toda a água utilizada no acabamento das peças foi desenvolvido em parceria com uma das principais fábricas da empresa localizada no sul da China. A reciclagem acontece em várias etapas da produção reduzindo significativamente a quantidade total de água usada nas peças, segundo a companhia.

Hoje não existem normas para a reciclagem e reutilização da água na indústria de vestuário e a iniciativa pode ajudar a mudar a forma como fábricas usam o recurso, informa a empresa. O processo deve ser adotado gradativamente por seus fornecedores ao redor do mundo. O próximo da lista é uma fábrica da Nicarágua que deverá implantar o processo até o final do ano.

Não é a primeira vez que a Levi’s anuncia iniciativas sustentáveis. Em 2010, a empresa lançou o programa Water Less uma coleção de jeans que absorve uma média de 28% menos de água, chegando até 96% em determinados produtos. Também se comprometeu a reduzir o descarte de produtos químicos até 2020.

Fonte: http://www.gbljeans.com.br/noticias_view.php?cod_noticia=5136

quarta-feira, 19 de março de 2014

Fashion Detox: movimento quer fim de produtos tóxicos na moda

A campanha Fashion Detox foi lançada pelo Greenpeace, é alimentada por mais de meio milhão de pessoas, e exige produtos de moda livre de tóxicos e a preservação da água limpa. Ao assinar o Manifesto Fashion Detox você está participando de um movimento global, exigindo a moda sem poluição.



A iniciativa de desintoxicação foi difundida em 2011 para expor as ligações diretas entre marcas de vestuário global, os fornecedores e a poluição de água ao redor do mundo. De acordo com o movimento, se os consumidores se juntarem, será possível desafiar algumas das marcas de vestuário mais populares do mundo a trabalhar com seus fornecedores e eliminar todos os lançamentos de produtos químicos perigosos na água.

O trabalho de campo e de pesquisa realizado em países tradicionalmente produtores de artigos têxteis, juntamente com os testes de peças de vestuário de marcas famosas em busca de vestígios de produtos químicos perigosos, resultaram no lançamento de relatórios que revelam a verdade tóxica por trás das roupas.

A “chamada” para a moda feita sem poluição também tem ecoado por grandes nomes no cenário da moda, incluindo designers, modelos e blogueiros. As iniciativas podem ser acompanhadas no blog da ONG, e traz tanto informações interessantes, quanto assustadoras.

A campanha tem sido capaz de assegurar compromissos públicos de diversas marcas internacionais, entre elas: Nike, Adidas, Puma, H&M, M&S, C&A, Li-Ning, Zara, Mango, Esprit, Levis, Uniqlo, Benetton, Victoria’s Secret, G-Star Raw Valentino, Coop e Canepa. Para essas empresas, o foco agora se volta para a criação dos planos de eliminação das substâncias mais perigosas e nocivas à saúde humana e ambiental, bem como proporcionar maior transparência sobre os produtos químicos que seus fornecedores liberam atualmente nas águas.

Em outubro de 2013 o Greenpeace Internacional lançou a passarela Detox, uma plataforma capaz de avaliar as medidas tomadas pelas empresas de vestuário sobre os compromissos de desintoxicação. A passarela revelou que, enquanto principais nomes como H&M, Mango e Uniqlo estavam combinando declarações com ações concretas, Nike, Adidas e Li-Ning estavam falhando no cumprimento das promessas.

Como globais players, marcas internacionais são pressionadas a eliminar os impactos ambientais negativos da produção, visto que eles tem poder de barganha junto aos fornecedores, desde o design dos produtos ao controle que podem exercer sobre os produtos químicos utilizados durante os processos de produção.

No site, encontramos apenas uma menção ao nosso país: um depoimento de Oskar Metsavaht, fundador da marca Osklen.

"É imperativo introduzir as melhores práticas na indústria da moda porque ela emprega mais de 30 milhões de pessoas ao redor do mundo e contribui significativamente para o consumo relacionado a terra, a água e a energia. No entanto, ao mesmo tempo, a moda é uma ferramenta de comunicação contemporânea que pode ser usada para causas que ajudem a preservar o planeta. A campanha do Greenpeace alerta sobre a necessidade de desintoxicação neste setor, assim como as camisetas da Osklen as fazem, ajudando a criar uma consciência de sustentabilidade."

Por Maria Alice Rocha
Doutora (PhD) em Design de Moda
http://textileindustry.ning.com/forum/topics/fashion-detox-movimento-quer-fim-de-produtos-t-xicos-na-moda?xg_source=msg_mes_network

terça-feira, 18 de março de 2014

Moda brasileira encalha em Paris

Quase um ano após uma grande operação comercial com produtos brasileiros, lançada em uma badalada festa com milhares de convidados e show do Gilberto Gil, a elegante loja de departamentos parisiense Le Bon Marché - que pertence ao grupo LVMH, líder mundial do luxo - ainda amarga prejuízo com os artigos de moda do Brasil. Motivo: os altos valores cobrados pelas grifes brasileiras, de várias centenas de euros, que limitaram consideravelmente as vendas e provocaram um encalhe de peças.

Segundo apurou o Valor, alguns modelos tiveram bom desempenho de vendas, mas no cômputo geral, as vendas ficaram longe do sucesso esperado. O Le Bon Marché só vende marcas muito sofisticadas. Organizadores do evento chegaram a comentar na época que os preços cobrados pelas grifes brasileiras "eram fora da realidade de mercado" e que se os valores fossem mais baixos, o desempenho teria sido melhor.
Alguns exemplos: um top de seda da Osklen custava, no lançamento do evento, € 315; uma saia estampada da marca Pedro Lourenço saía por € 590; era preciso gastar € 1,5 mil por um vestido em tecido jacar e couro do Reinaldo Lourenço. Isso sem falar nos pijamas de seda da marca Adriana Barra (apenas a blusa custava € 525 e, a calça, € 575). Não é à toa que na "Braderie" que terminou no último dia 8, ainda havia vários pijamas, mesmo com o preço mais camarada, de pouco mais de € 100.
"Isso são preços de grifes de luxo mundialmente famosas. O consumidor, na hora de comprar, prefere normalmente os nomes que todo mundo conhece", afirma o consultor de moda Paulo Pereira, que trabalha há mais de 20 anos em Paris para marcas de prêt-à-porter brasileiras.
Chanel ou Hermès, as grifes mais seletivas no universo da moda, são ainda bem mais caras, mas elas estão em um outro patamar em termos de imagem. "A moda brasileira não é competitiva quando chega à França. Os preços para exportação são muito altos e ainda são multiplicados, geralmente, por 2,5 pelos lojistas e se tornam inviáveis", afirma. Além disso, diz ele, a concorrência na França é gigantesca. "Os estilistas do mundo inteiro querem vender no país e a oferta de produtos é enormes."
Para Pereira, além do problema dos preços, a moda brasileira não consegue se implantar em países como a França porque as empresas têm uma "cultura imediatista". "As marcas participam de feiras e, se não vendem bem em um ano, já desistem logo. É um trabalho de longo prazo e, se a presença não for constante, não dá certo."
Procurado pelo Valor, o Le Bon Marché não quis comentar desempenho das vendas de moda brasileira. A empresa havia divulgado no início do evento - que também incluía produtos como alimentos, bebidas, joias e móveis - prever vendas de € 2,8 milhões. No final, segundo apurou o Valor, as vendas teriam atingido € 2 milhões. Este evento com produtos brasileiros teria sido o maior prejuízo em operações comerciais na história do Bon Marché, devido sobretudo aos artigos de moda.
Mas houve sucessos comerciais no "Brésil Rive Gauche", como o dos sabonetes Granado e Phebo. O elegante estande temporário acabou se tornando permanente no Le Bon Marché.

Leia mais em:
http://www.valor.com.br/empresas/3447202/moda-brasileira-encalha-em-Paris
Por Daniela Fernandes | Para o Valor, de Paris

segunda-feira, 17 de março de 2014

Jeans feminino decorado

Nas passarelas internacionais, as calças revestidas com adesivos, pedras, patches, estampas localizadas e outras intervenções divertidas reapareceram de forma bem discreta.
Embora o reinado das calças justas continue inabalável, as marcas sempre incluem novas silhuetas na tentativa de variar o guarda-roupas feminino. Nos desfiles do outuno-inverno 14/15, algumas grifes mostraram na passarela calças de cortes mais amplos e decorados de maneira divertida ou para dar nova interpretação ao vintage. São variações da boyfriend sem nada de masculino por conta dos revestimentos escolhidos, como pompons e fitas de tule, adesivos que remetem ao mundo dos quadrinhos, patches, estampas localizadas, pedras e metais. Sobrou até para as jaquetas.
Mas, o jeans divertido reapareceu de forma bem discreta com Alexander McQueen, House of Holand, Marc Jacobs e Dondup; enquanto o vintage revestido foi pontual na passarela de Philipp Plein, na coleção de inverno apresentada pela grife em Milão.










sexta-feira, 14 de março de 2014

Plus Size Fashion Week se consolida como evento de moda no país.

A edição inverno 2014 do Fashion Weekend Plus Size aconteceu no dia 23 de fevereiro, em São Paulo, e contou com a participação de doze marcas que fizeram seus lançamentos para o próximo Inverno, tanto na passarela, quanto no salão de negócios.

Destaque para a variedade, que atinge a diferentes gostos, perfis e ocasiões do atual cotidiano feminino: desde a lingerie, roupas casuais até acessórios que valorizam o corpo das mulheres com medidas fora dos estereótipos de beleza do mercado convencional. Tudo alinhado às tendências atuais para a próxima temporada, com modelagens e acabamentos bem trabalhados. Segundo a estilista da marca True Emotion, Larissa Batista, que participa pela primeira vez do evento, a moda plus size deve ser feita com primazia para vestir bem a mulher que está acima do peso, sem deixar de lado as inspirações que norteiam a estação.

Nas estampas o destaque vai para os animal-print, geométricos, étnicos e o que não poderia faltar nesse ano de copa de mundo, a dupla verde e amarelo em bandeiras que enaltecem a torcida pelo Brasil. Além da cor eleita para 2014, a orquídea radiante, que também apareceu na passarela colorindo as peças íntimas, como os conjuntos rendados da Vislumbre e casaco da Melinde. Já nas modelagens, saias e vestidos em formatos em A, recortes estratégicos em comprimentos médios e longos, traziam fendas e peplum na barra.

Foto de divulgação do evento - mulherao.wordpress.com
A alfaiataria rígida apareceu em blazeres, trench coats, e spencer que reafirmam a onda militar do clima gelado. Nos tecidos, forte presença da viscose, renda, veludo de malha, couro jacquard e muitos detalhes em matelassê, spikes e pedrarias que dão destaque para as peças. No quesito complementos, a Korukru, única grife de acessórios presente no evento, mostrou referências nos tempos medievais com cintos largos, corpetes de couro trançados e clutches com pelos e franjas que, inclusive, já foram itens muito observados nas últimas passarelas internacionais. Por isso, está mais do que comprovado que a moda GG já tem o seu lugar garantido no calendário 
do tão valorizado cenário fashion nacional.

Entre as empresas participantes: a fast fashion Pernambucanas, a Melinde, Ênfase Plus, Xica Vaidosa e as estreias da grife da Miss Brasil Plus Size 2013, Aline Zattar e da coleção “Marri Gattô by Renata Poskus – idealizadora do evento”.

Renata Poskus Vaz é jornalista, idealizadora do “Fashion Weekend Plus Size” e autora do blog Mulherão, um dos principais blogs Plus Size do país. É a primeira coleção assinada por Renata, paulistana, que veste manequim 46, tem 1,72 de altura e pesa 84 quilos, conta com 14 peças versáteis para acompanhar as mulheres contemporâneas em todos os momentos do dia, do trabalho para um jantar ou uma balada. Na definição dela, a partir de agora, também estilista, “uma coleção desenvolvida para acompanhar o ritmo de São Paulo, a cidade que nunca dorme”.

Renata Poskuz - foto: fwps.com.br/ 


Linha Marri Gattô by Renata Poskuz

A Coleção  Marri Gattô by Renata Poskuz é composta por 14 peças como saias, vestidos, macacões e camisas, desenvolvidas para atender a mulherões de todas as regiões do país. São peças leves que podem ser usadas em qualquer estação de acordo com a composição do look. As estampas da coleção são semiexclusivas para a grife Marri Gattô – que no segmento Plus Size é a única a utilizar estas estampas coloridas, modernas e que se coordenam entre si. Fendas aparecem em saias, vestidos e macacões, mostrando que mulherões também podem vestir peças sensuais e elegantes.

Nos materiais, a viscose é o carro-chefe por ser confortável e oferecer bom caimento, moldando o corpo. Malhas tipo tricô, mais encorpada, e veludo de malha também estão presentes na coleção.Renata Poskus Vaz declara:  “Fiquei muito feliz com o convite da Tivah para assinar uma linha da Marri Gattô e pensei em peças versáteis, bonitas, confortáveis e com modelagens que valorizam as formas femininas mais generosas, para mostrar que podemos romper paradigmas da moda e vestir roupas modernas, estampadas, coloridas de forma fashion e com um toque sensual, realçando nossas curvas”.

As peças da linha Marri Gattô por Renata Poskus serão comercializadas em lojas multimarcas de todo a país a partir de maio.

Renata Poskus Vaz: mulherão que acredita no poder da autoestima

Quem vê Renata Poskus Vaz andando pelas ruas de São Paulo não imagina como ela ajudou milhares de mulheres a resgatarem sua autoestima e a lutarem contra a ditadura da balança. Em março de 2009, a jornalista criou o blog Mulherão e ganhou milhares de seguidoras ao abordar temas como preconceito contra gordinhas, moda, comportamento e autoestima.

Renata não parou por aí: a jornalista provou também todo seu talento como empresária ao criar o “Dia de Modelo”, uma ação na qual mulheres que vestem tamanho GG de todas as idades podem produzir um book fotográfico, em estúdio, com uma equipe de profissionais de moda e beleza dirigida por Renata. Centenas de mulheres, de diversas cidades brasileiras, já passaram pelo evento e hoje seguem uma carreira profissional de modelo Plus Size.

Sem ter, a princípio, este objetivo e sem planejamento, Renata foi precursora na movimentação de uma parcela muito significativa da população brasileira: mulheres de formas mais generosas e que se sentem felizes e realizadas, como profissionais e como pessoas, e querem opções de roupas que valorizem suas curvas, em peças confortáveis, bonitas e atualizadas com as principais tendências da moda, para trabalhar, passear, namorar. E o passo seguinte foi certamente a mais ousada empreitada de Renata – e também a que teve maior repercussão: em janeiro de 2010, inspirada na “Full Figured Plus Size”, semana de moda para mulheres que vestem tamanho GG realizada em Nova York, a empresária idealizou e dirigiu a primeira edição do “Fashion Weekend Plus Size”, apresentando lançamentos para o inverno 2010. Com grande repercussão na mídia – nas editorias de moda e, principalmente, de comportamento –, o evento hoje faz parte do calendário da moda brasileira com duas edições anuais.

Tivaz Hertz, diretora da grife Marri Gattô, declara: “A primeira coleção da Marri Gattô foi inspirada nas consumidoras Plus Size, a segunda na cidade do Rio de Janeiro e agora para o inverno 2014, escolhemos a cidade de São Paulo com inspiração. Convidamos a Renata para assinar uma linha de produtos porque ela é a cara da cidade, agitada, nunca para”. E completa: “A Renata é hoje a maior referência do Plus Size no Brasil. Sua luta é muito verdadeira e tanto o blog Mulherão quanto o FWPS são extremamente importantes para o segmento, pois abriram possibilidades tanto para as grifes quanto para as modelos”.

Fontes: http://www.fwps.com.br/
Use fashion
https://mulherao.wordpress.com/category/

quarta-feira, 12 de março de 2014

Décadas da moda: qual delas tem mais a ver com você?

Dos anos 1960 aos anos 1990, o verão 2014 reuniu todas as épocas. Mas, afinal, que mulher você é? 

Sessentinha

Você não dispensa cores brilhantes e adora deixar as pernas à mostra? Peças como vestidos trapézio e túnicas são favoritos no seu guarda-roupa e a feminilidade vem sempre em primeiro lugar na hora de montar o look? Esse espírito womanly, que chega lá dos anos 1960, surge renovado na temporada de verão 2014 pelas mãos de Tory Burch, Temperley London e Blugirl.

70’s girl


Se um dos seus maiores sonhos é poder ter participado do festival Woodstock e mulheres como Bianca Jagger, Marianne Faithfull e Farah Fawcett são suas grandes musas de estilo, então a década de 1970 é a sua pegada fashion. Isso significa que pantalonas de cintura alta, batas e vestidos longos são peças que fazem seu coração bater mais forte. Quer atualizar a tendência? Olhe para as coleções de Miu Miu, Topshop Unique e Rachel Zoe.

Beat Oitentista


Lamê, paetês, babados e ombreiras protuberantes são com você mesma. Tudo isso para combinar com as batidas da próxima pista, que provavelmente estará fervendo ao som de Pet Shop Boys, New Order e Madonna. Não tem jeito: você pertence aos anos 1980 e ele a você. Não se preocupe porque, no que depender de Balmain, Moschino e Saint Laurent, não faltarão vestidinhos de um ombro só, texturas brilhantes e muita exuberância para você rodopiar por aí.

Nineties Feelings


Muitos jeans, tecidos esportivos, influências grunge, cores fluo e logotipos por toda a produção. Misture tudo isso no liquidificador e você tem a fórmula perfeita para o visual noventista. Curtiu? Então aproveite porque a década nunca esteve tão em alta na moda e ainda promete bombar em vitrines, editoriais e campanhas de marcas como DKNY, Versace, Rodarte e Alexander Wang.

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/moda/reportagem/ta-na-moda/decadas-moda-1960-1990-773662.shtml

terça-feira, 11 de março de 2014

Produção de moda: aprendendo com os erros

Um dos ramos que mais cresce e se profissionaliza no universo da moda é a profissão de Produção de Moda, haja vista que para sobreviver num mercado tão competitivo como o varejo de moda é preciso muito investimento na construção de imagens. Sempre digo que “produto por produto o cliente compra onde for mais barato”, vide sites chineses e feiras populares.

Mas para superar a concorrência desleal do preço com os gigantes asiáticos e proporcionar uma experiência de compra satisfatória, é preciso fortalecer a marca, aumentando o seu Brand Equity, ou seja, estimular através das ferramentas de comunicação o aumento da percepção de valor do consumidor.

Recentemente, deparei-me com uma campanha realizada por um grande e prestigiado shopping da capital paulista. Quando esperava o elevador para acessar o shopping, encontrei adesivado em suas portas a imagem que vocês veem abaixo. Continuei meu percurso, sem dar muita importância para o fato.

Mas, ao entrar em outro elevador, logo percebi que o efeito produzido por aquela imagem era mais incoerente do que eu pudera imaginar. Isso se deu quando um rapaz comenta com a sua acompanhante: “nossa, não tem nada a ver a roupa desse casal”.

De fato preciso concordar com ele. Há muitos signos desconexos nessa comunicação. E é papel do profissional de Produção de Moda compor os looks – e obedecer algumas regras – para gerar uma imagem final coerente com aquela que se deseja comunicar, tornando o produto final identitário e desejado pelo receptor.


Assim, tomemos este case como exemplo para discussão de alguns aspectos.

1. A moda tem proporcionado cada vez menos regras na forma de nos vestirmos, porém, aquelas que ainda perduram referem-se, principalmente, ao senso de proporção, ou seja, independentemente ao estilo pessoal que se busca construir numa produção de moda, a gravata do homem deve sempre terminar rente ao cinto.

2. Observe que a barra da calça foi inadequadamente virada para fora, evidenciando além das costuras internas uma total falta de técnica e apreço com o look, tornando-o também lo mais barato do que é.

3. A falta de zelo na produção de moda e, consequentemente, na imagem final produzida, fica evidente na camisa amarrotada. Apenas fotos externas (fora de estúdio) justificariam uma peça minimamente amassada.

4. Você percebe que o sapato da modelo não dialoga com o vestido? Essa falta de comunicação se dá pela incoerência no estilo das peças escolhidas. O vestido é gritantemente Sexy, isto é, um tecido que evidencia o corpo, modelagem justa, área grande de pele à exposição, curto comprimento da peça e cinto de couro sintético; enquanto que o sapato é de um estilo totalmente Clássico.

5. Note como a imagem projetada por cada modelo parece-nos incompatível e como sua imagem final também não reflete a imagem que o shopping, enquanto uma empresa, tem historicamente comunicado aos seus clientes. Essa incoerência é provocante e pode gerar uma sensação de descrédito, além do não reconhecimento do lugar/produto/serviço como adequado as necessidades e interesses do consumidor.

Por Eduardo Vilas Bôas
Professor de Moda do Senac SP
http://lopesstore.blogspot.com.br/2013/12/producao-de-moda-aprendendo-com-os-erros.html

segunda-feira, 10 de março de 2014

Babado forte: o detalhe volta mais sofisticado e em posições estratégicas

O babado desta estação é diferente. Ele vem incorporado à arquitetura da roupa, e não mais como adornos e camadas por cima dela. Menos volumoso e mais estrutural, ele é ideal para modernizar o look dos dias mais frios. Inspire-se!



Apareceu no desfile de: Coca-Cola Clothing. Os babados ganham leitura esportiva no desfile de verão 2014 da grife liderada pela estilista Thais Rossiter e surgem aplicados na barra de vestidos de neoprene curtinhos ou em saias de ares girlie. 
Como usar: Seu formato ondulado adiciona volume à silhueta. Se você não estiver preparada para o look, é melhor eleger as peças que tenham babados aplicados na barra. Agora, se você é dessas que não têm medo de ousar, pode investir em um vestido com ondulações frontais ou laterais, bem dramático. 









O melhor da trend: Antes associado a uma imagem romântica, nesta temporada o babado aparece mais maduro para arrematar produções nos mais variados estilos. Use como quiser!
Na rua: acessórios rocker acertam em cheio.

Fonte: http://mdemulher.abril.com.br/moda/fotos/ta-na-moda/como-usar-tendencia-do-inverno-looks-babados-moda-roupas-vestido-calca-773811.shtml#1



sexta-feira, 7 de março de 2014

Pantone anuncia cartela do Inverno 2015/16

Nova palheta de cores reflete mudança de atitude de consumidores e empresas, que não mais assumem tons escuros por causa das temperaturas mais frias.

Ao anunciar a Colour Planner Winter 2015/16, a Pantone assume uma nova interpretação para sua cartela endereçada a todos os segmentos em que atua – da moda de roupas aos objetos de decoração, passando por cosméticos e indústria gráfica. Segundo a empresa, no passado, com as temperaturas em declínio, os consumidores tipicamente tendiam para tons escuros, como preto e marinho. Não é mais o que acontece no mercado.


Em comunicado distribuído ao mercado ontem, 18 de fevereiro, Laurie Pressman , vice-presidente do Pantone Color Institute, explicou que a retomada do crescimento econômico e o mundo globalizado, no qual todo mundo vê o que todo mundo usa, o diálogo com a cor não está mais restrito ao período de verão. Empresas e consumidores estariam mais flexíveis a aceitar tons menos tradicionais no inverno. Para acomodar essa nova visão, a Pantone atribuiu oito divisões à sua cartela de cores da estação, a Engage: Impression; Intermingle; Curiosity; Empathy; Connect; Physical; Iconic; e Subliminal.

Começa com cores suaves que vão evoluindo gradualmente para tons intensos e terminando com o que a empresa define como “rajadas de cor”. Como na estação passada, os neutros caminham pelo camelo e o ocre, porém, mais lavados. Também continuam as tonalidades em pastel, e o preto recebe influências de vermelhos e azuis, assim como o vermelho afeta tons de castanho e laranja. Os azuis e verdes serão mais escuros. Permanecem o roxo e o violeta. Os amarelos escurecem até o ocre, enquanto o marrom assumirá tons brilhantes e sintéticos, resume a Pantone, que comercializa o View Colour Planner Fall/Winter 2015/16 por US$ 750.

Fonte: http://www.gbljeans.com.br/noticias_view.php?cod_noticia=5105

quinta-feira, 6 de março de 2014

Marcas populares focam nas tendências para ir além do preço baixo

Entre as tendências apresentadas nos desfiles do Mega Polo Moda, estão o xadrez, o couro e o jeans. O preço acessível é o principal atrativo para quem percorre as ruas do Brás, bairro conhecido pelas lojas populares e onde está localizado o shopping atacadista Mega Polo Moda, que apresentou nesta semana cerca de 1.400 looks para a próxima estação com presença de famosos na passarela. Mas não é só de pechincha que vive a região.


“As confecções estudam as tendências, contam com birôs para consultoria, tem gente que viaja 12 vezes ao ano em busca de novidades”, explica Juliana Gama, gestora de marketing do shopping Mega Polo Moda, que possui mais de 5 mil lojas e faturamento anual de R$ 12 bilhões.
O consultor de moda Arlindo Grund explica que a variedade vai além das tendências e que o Brás oferece moda para todos os tipos de pessoa. “Muitas lojas têm numeração ou modelagens diferenciadas, maiores, por exemplo, que se adaptam ao biótipo de muito mais gente”, diz.
As novidades são produzidas e colocadas à venda rapidamente, característica que atrai milhares de compradores do país inteiro. Iria Dullius, lojista há 35 anos, concorda: “Eu vou à Nova York, por exemplo, sei o que tem lá e é o mesmo que tem aqui. A agilidade é impressionante, praticamente tudo ao mesmo tempo, Estados Unidos, Europa, todos os lugares”. As lojas trabalham com estoque menor para possibilitar esse giro de opções. “Toda vez que venho aqui as vitrines já mudaram”, conta a lojista Cleusa Peres Ribeiro.
A estrutura das confecções também se modernizou nas últimas décadas com investimento em equipamentos de ponta, segundo Juliana. “A qualidade é ótima, não é preciso procurar muito para encontrar peças boas”, dizem as lojistas Mariana Machado Chabregas Rubim e Juliana Machado Chabregas.
A disseminação da informação de moda entre os consumidores refletiu em mais pesquisa por parte das marcas populares. Para Grund, um período econômico mais estável e o acesso à internet são dois fatores que promoveram o contato do brasileiro com marcas internacionais e mais informações. “As pessoas passaram a conhecer outras coisas, aí foi a vez das confecções nacionais melhorarem a qualidade”, completa.
Tendências
Nas passarelas, o destaque para os meses mais frios do ano ficou por conta do xadrez, couro, tricô e jeans. Estampas animais e florais continuam depois do verão entre as padronagens da temporada, mas ganham cores sóbrias e escuras, como marrom e azul marinho.
Confeccionado em diferentes técnicas, o couro recebeu detalhes vazados, costuras aparentes e envernizados com estamparia e cores. O tricô é clássico da estação. As peças trouxeram referências de períodos históricos como o neobarroco e bizantino, por meio de aplicações, bordados, detalhes em dourado e pedrarias. O jeans apareceu em lavagens intensas e estampas em alto relevo, além de texturas como lixadas, acetinadas e emborrachadas.
O consultor Arlindo Grund destaca a mistura de peças mais caras como outras mais baratas. “O ‘high low’ é uma ótima maneira de aproveitar o Brás”, afirma

Fonte: www.boainformacao.com.br

quarta-feira, 5 de março de 2014

O otimismo do consumidor brasileiro e os novos rumos do varejo

Na segunda quinzena do mês de Fevereiro foi divulgada uma pesquisa anual sobre o comportamento do consumidor de nove países emergentes, conduzida pelo Credit Suisse e pela Nielsen. Nela aponta-se o consumidor brasileiro como o mais otimista dentre os países pesquisados.
O percentual de consumidores brasileiros que espera uma melhora em sua situação financeira nos próximos seis meses é de 58%. Apesar de ser o mais alto entre os países emergentes, vem apresentando sinais de queda, pois este percentual já foi de 63% no ano passado.

Essa redução de curto prazo no otimismo pode ser resultado da expectativa de crescimento inflacionário (10% para 40%) dos pesquisados, e tem impacto direto no comportamento do consumidor brasileiro. Ainda segundo a pesquisa, a expectativa de gasto não essencial continua alta, mas parou de crescer. Os brasileiros estão agora mais focados no consumo de itens cotidianos, como roupas, do que de coisas maiores, como casa e carro.
Desta forma, podemos concluir que o consumo está sendo direcionado para bens não duráveis e de alto giro, o que pode ser muito bom para um determinado segmento do varejo brasileiro, e para tanto é importante estar muito bem preparado para este momento.
Claro que com a estabilidade econômica no país, e com a inserção de uma enorme parcela de pessoas no consumo nas últimas décadas, o comportamento do consumidor vem mudando sensivelmente, uma vez também que um maior número de pessoas passou a ter acesso a produtos e serviços que não tinham no passado. Esse consumo foi fortemente impactado de forma positiva como bens móveis e imóveis, duráveis e não duráveis, serviços, viagens, assim como tantos outros segmentos.

De acordo com a pesquisa mencionada, estamos entrando em um momento de maior incerteza em relação a perspectiva econômica, e consequentemente o consumidor deixa de fazer compromissos de prazo mais longo, focando suas compras em produtos de necessidades primárias e secundárias.
Se pensarmos nas necessidades da pirâmide de Maslow, onde as pessoas buscam primeiramente satisfazer suas necessidades primárias e depois as de status e de auto-realização, podemos dizer que o consumidor está descendo alguns degraus em sua pirâmide de consumo. Obviamente que ainda assim buscará satisfazer suas pequenas indulgências, e isso é extremamente positivo para os segmentos de varejo que trabalham com categorias que atendem a satisfação de produtos de alto giro que supram a estas necessidades.

A tendência então é de termos o consumo mais concentrado nos segmentos de vestuário, cosméticos, alimentos, bebidas e serviços também como entretenimento, viagens, e alguns outros. Sem dúvida alguma que isso não é uma regra absoluta, e sim uma tendência baseada em dados resultantes da pesquisa realizada pelo Credit Suisse e Nielsen, sobre os consumidores emergentes de nove países.
Mas como sabemos, a situação socioeconômica de nosso país, juntando as duas informações pode nos dar uma boa ideia de onde e como atuar junto ao varejo nos próximos meses. Acredito que vale a pena ficar atento!

Via Marcelo Murin, administrador de empresas com especialização em marketing e sócio-diretor da SOLLO Direto ao Ponto - http://www.bemparana.com.br/noticia/305537/o-otimismo-do-consumidor-brasileiro-e-os-novos-rumos-do-varejo

terça-feira, 4 de março de 2014

LFW: blusa de manga longa e saia midi são a dupla hit da temporada

No inverno 2014-15 da semana de moda de Londres combinações simples reinam na passarela.

A Semana de Moda de Londres aconteceu dos dias 14 a 18 de fevereiro e mostrou as apostas das grifes britânicas e de estilistas internacionais que estão crescendo no cenário fashion internacional para o inverno 2014-15.
Apesar de ser a fashion week que mais revela talentos, onde eles inclusive exercem a sua criatividade, foi um look, digamos, simples o eleito hit das passarelas: a blusa de manga longa combinada com saia midi.

Issa e Jonathan Saunders (Foto: Imax Tree)

Christopher Raeburn / Christopher Kane / Pringle of Scotland

House of Holland / Richard Nicoll

Issa, Jonathan Saunders e House of Holland apresentaram versões supercoloridas do conjunto. Christopher Raeburn e Christopher Kane optaram pela lisa. Pringle od Scotland foi de tricolor, enquanto Richard Nicoll apresentou um look monocromático. Versátil, a dupla pode ser interpretada por todos os estilos, passando do mais clássico até o fashionista. Até que ficou fácil ser trendy, você não acha?

http://revistamarieclaire.globo.com/Moda/noticia/2014/02/lfw-blusa-de-manga-longa-e-saia-midi-sao-dupla-hit-da-temporada.html

segunda-feira, 3 de março de 2014

Verão 2015: é a hora e a vez do Brasil!

Com certeza será um verão muito vibrante, muito brasileiro e muito feminino, tudo isso por conta da copa do mundo.
O SENAC traz o tema natureza tropical como o mais importante da temporada, justamente falando do lifestyle brasileiro, que se retrata nas cores das matas, das florestas, toda a fauna e flora e principalmente de toda uma orla de um Brasil recheado de praias, a exemplo do Rio de Janeiro. Aparece muita estamparia e muita cor, e ainda, o retorno do Hibisco como uma das principais estampas para a estação.

Falando um pouco da feminilidade, entramos no segundo tema, um tema delicadinho que se chama inocência e sedução traz um resgate dos anos 20 e também dos tecidos naturais, uma coisa voltada pros enxovais das vovós, babadinhos, frufrus e rendas.

Vamos também falar da quebra das fronteiras geográficas através da internet, da geografia global, onde todos os povos da América, Ásia e África trazem um pouco da sua cultura para o Brasil, com destaque para a África, que apareceu muito forte através das cores terrosas, também pinceladas por cores muito quentes. Uma delícia para a estamparia e pra peças bem coloridas. Da Ásia vem a docilidade dos florais japoneses, além da influência do Peru e do México na América.

O street sport vem com força total em cima das tecnologias, trazendo essa cultura street pra moda mais sofisticada, tecidos de alto impacto para serem confortáveis no dia a dia, além da boa e velha camiseta estampada.

É a hora e a vez do Brasil! 

Veja o vídeo na íntegra nesse link:

Fonte: www.terra.com.br